Solar Mirante do Saldanha, no Viaduto da Sé, deve sediar o ‘Casarão da Diversidade’

Originário do início do século XVIII, o solar é um dos imóveis do IPAC que integrarão o Distrito Criativo do Governo do Estado no Centro Histórico
Os secretários estaduais, Bruno Dauster (Casa Civil), Arany Santana (Cultura) e Carlos Martins (Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social), realizam hoje (16), vistoria no Solar Mirante do Saldanha, onde funciona atualmente a diretoria geral do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC). Representando a Secretaria do Trabalho do Estado (Setre) que também integra a iniciativa, a coordenadora da Agenda Bahia de Trabalho Decente, Ângela Guimarães. A ideia é ocupar a edificação com o projeto ‘Casarão da Diversidade’ que reúne várias secretarias estaduais, órgãos e entidades parceiras.

Construção do século XVIII, tombada pelo IPHAN/MinC como Patrimônio Nacional (1941), o Solar fica na Rua do Saldanha, n°25, esquina com a Rua 28 de Setembro (antiga Rua do Tijolo). No imóvel serão instalados os serviços do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT (CPDD-LGBT), do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (NETP), o Projeto PREP-Adolescente do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, a Casa dos Conselhos da SUDH, além das áreas técnicas de gestão da Coordenação de Políticas LGBT, do Conselho Estadual LGBT e do Núcleo deMonitoramento do Disque Direitos Humanos - módulo LGBT.

DISTRITO CRIATIVO – A ocupação do imóvel integra a criação do Distrito Criativo do Pelourinho que pretende dar uso contemporâneo e mais articulado para casas do IPAC no Centro Histórico, auxiliando na dinamização da região. Vários países do mundo utilizam-se da Economia Criativa para revitalizar áreas degradadas ou esvaziadas em centros urbanos. “Existem experiências bem sucedidas, como em Lisboa (Portugal), Londres (Reino Unido), Sidney (Austrália) e Medellín (Colômbia), essa última com características próximas a Salvador”, relata o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira.

O IPAC dispõe de 181 imóveis no interior do estado e na capital. No Centro Histórico esse número chega a mais de 60 imóveis. “Estamos construindo a ideia desde o ano passado e, para dar certo, o distrito deve ser um projeto de governo que incluirá várias instâncias e parceiros”, explica João Carlos. Até o final deste ano (2017), a diretoria do IPAC será relocada para o antigo prédio dos Correios e outros imóveis próximos à Igreja de São Francisco. Assim, o Solar estará livre para o ‘Casarão da Diversidade’ como primeira ocupação do distrito.
DIVERSIDADE – Também presentes na vistoria do Solar, outros representantes das incubadoras do futuro ‘Casarão da Diversidade’. A professora-doutora Inês Dourado (ISC-UFBA), as coordenadoras Rosa Marinho e Glayds Almeida (GAPA-Bahia) – entidade gestora do Centro LGBT –, o coordenador Admar Fontes (NETP), o coordenador Vinícius Alves (coordenação LGBT) e a secretária executiva Rebeca Benevides (Conselho LGBT), foram alguns.

As casas do IPAC representam somente 1,5% do total de imóveis existentes no perímetro de tombamento do Centro Histórico. O restante de 98,5% pertence a privados, prefeitura municipal, órgãos estaduais e municipais, e a Igreja Católica através das suas congregações e irmandades, como por exemplo, o Cine Excelsior e dezenas de casas do Pelourinho.

WORKSHOP INTERNACIONAL – Para aprofundar os estudos sobre o Distrito, o IPAC e a Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação do Estado (SECTI) promoveram no último dia 20 de setembro o ‘Workshop Internacional Design e Distritos Criativos’ no Teatro SESC, no Pelourinho. Foram apresentados exemplos de Lisboa (Portugal), Rio de Janeiro (Brasil), Medellín (Colômbia) e Buenos Aires (Argentina). “Pela experiência de Medellín, posso dizer que as diferenças são uma riqueza para a economia criativa e diversidade é o que vocês mais têm em Salvador”, elogiou a gerente do Distrito de Inovação de Medellín, Ana Isabel Maya, durante o evento.

O exemplo de Medellín é premiado e reconhecido em todo o mundo. Confira outros imóveis/espaços do IPAC que já têm ocupações bem sucedidas: Balé (https://goo.gl/jZQjJN), Projeto Axé (https://goo.gl/34bd1a) e Programa de Dinamização de espaços (https://goo.gl/S4EyRn). Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio e twitter @ipac_ba.
Share on Google Plus

About IPW Noticias

    Blogger Comment
    Facebook Comment