Por 8 votos a 3, STF proíbe doações de empresas para campanhas eleitorais

Os ministros declaram inconstitucional doações de empresas a partidos ou candidatos. A regra valerá para as próximas eleições de 2016
Por: Agência PT, em 17 de setembro de 2015 às 18:10:18
O Supremo Tribunal Federal concluiu, nesta quinta-feira (17), o julgamento da ação sobre o financiamento empresarial de campanha. Por 8 votos favoráveis e 3 contra, os ministros declaram inconstitucional doações de empresas a partidos ou candidatos. A regra valerá para as próximas eleições de 2016.
A decisão fornece argumentos para a presidenta Dilma Rousseff vetar um projeto de lei que autorizava esse tipo de doação para campanhas políticas, aprovado pela Câmara dos Deputados na semana passada.
O julgamento começou em dezembro de 2013, mas em abril do ano passado o ministro Gilmar Mendes pediu vista, ou seja, tempo para analisar o documento, o processo acabou sendo interrompido por um ano e cinco meses. Nesta quarta-feira (16), o ministro apresentou voto a favor das doações empresarias, assim como, Celso de Mello e Teori Zavascki.
Contra o financiamento privado de campanhas políticas votaram os ministros, Luiz Fux, Joaquim Barbosa, Marco Aurélio Mello,  Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Rosa Weber.
Durante o julgamento a ministra Rosa Weber destacou que “a influência do poder econômico culmina por transformar o processo eleitoral em jogo político de cartas marcadas, que faz o eleitor um fantoche”, neste sentido reforçou apoio ao fim das doações empresariais para as campanhas.
Com o entendimento do STF a regra passa a valer nas próximas eleições de 2016, quando haverá disputa eleitoral nos municípios.
Por Michelle Chiappa, da Agência PT de Notícias
Share on Google Plus

About IPW Noticias

    Blogger Comment
    Facebook Comment