Prédios tombados podem passar por reformas

 Ao contrário do senso comum, imóveis tombados (protegidos oficialmente) pelos poderes públicos, seja pelo Município, Estado ou União, podem passar por modificações. É o caso, por exemplo, do prédio na Praça Castro Alves onde funcionou por 45 anos o jornal A Tarde, tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) como Bem Cultural da Bahia.

Em estilo arquitetônico Art déco a edificação foi construída entre 1928 e 1930. As obras do prédio que estavam em ritmo lento por 12 meses, foram retomadas e a edificação se tornará uma filial, categoria seis estrelas, da rede de hoteis de luxo Fasano, que possui unidades no Rio de Janeiro, São Paulo e Punta del Este, no Uruguai. A previsão para a conclusão das obras pela construtora Prima Empreendimentos Inovadores deve ser no próximo ano.

SALVAGUARDA – Para o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira, é fundamental que a sociedade entenda e se aproprie das leis e mecanismos que regem a salvaguarda de edificações protegidas oficialmente. “Temos outros exemplos como o Hotel da Bahia, atual Sheraton, que é tombado pela sua importante arquitetura modernista, mas sofreu reformas depois de analisada e aprovada pelo IPAC”, diz. João Carlos ressalta ainda a reforma do antigo Hotel Palace, na Rua Chile, que apesar de não ser tombado, é mais um ícone do Art déco em Salvador. O prédio está se transformando no Fera Palace Hotel com 69 apartamentos e 12 suítes, bar na cobertura e piscina com vista para a Baía de Todos os Santos.

O prédio de A Tarde foi totalmente modificado por dentro, com implantação de elevadores, novas escadas e outros itens contemporâneos e de alta tecnologia. O projeto desenvolvido pelo arquiteto Isay Weinfeld inclui 70 suítes com vista para o mar, restaurante, cobertura com piscina, sauna e bar, além de um pequeno business center. Weinfeld, que também criou os hoteis Fasano em São Paulo e Punta Del, planejou para a unidade na Praça Castro Alves, uma decoração que resgata as memórias do jornal, de percurso centenário, incluindo uma tentativa de incêndio ocorrida durante o Golpe de Estado de 1930.

ART DÉCO – O prédio A Tarde foi uma das primeiras edificações de cimento armado da cidade, integrando sete pavimentos e um subsolo, onde o jornal funcionava. O edifício é um precioso exemplar do estilo arquitetônico art déco e já foi antes abrigo do Hotel Wagner, localizado no último andar. Já o Hotel da Bahia, foi reformado duas vezes, uma na década de 1980, pelo seu próprio autor, o renomado arquiteto baiano Diógenes Rebouças (1914-1994) em coautoria com Lourenço do Prado Valladares e, depois, já na primeira década do século XXI.

Tombado pelo IPAC desde 2010 a edificação foi comprada e reformada pela StarwoodHotels & Resorts, sendo reinaugurada como Sheraton da Bahia Hotel em 2013. Fique informado sobre os tombamentos do IPAC via telefone (71) 3117-7498 e endereço dipat.ipac@ipac.ba.gov.br. Conheça os bens culturais (materiais e imateriais) protegidos na Bahia:patrimonio.ipac.ba.gov.br. Acesse ainda: www.ipac.ba.gov.br, facebook ‘Ipacba Patrimônio’, twitter ‘@ipac_ba’ e instagram ‘@ipac.patrimonio’. 

Crédito Fotográfico obrigatório Fotos - Lei nº 9610/98 – Crédito das fotos: Jefferson Vieira (Ascom IPAC-BA/ Divulgação)
 
Fotos em BAIXA anexas.
Fotos em ALTA resolução no Flickr:
Assessoria de Comunicação – IPAC, em 03.08.2016
(71) 3117-6490, 3116-6673, 99110-5099
Jornalista responsável Geraldo Moniz de Aragão (DRT-BA nº 1498)
Coordenação de Jornalismo e Edição: Marco Cerqueira (DRT-BA nº1851)
Facebook: Ipacba Patrimônio - Twitter: @ipac_ba – Instagram: @ipac.patrimonio
Share on Google Plus

About IPW Noticias

    Blogger Comment
    Facebook Comment